Após mais de 24h de acidente com carreta-tanque a BR-101 continuava interditada entre Itabela e Eunápolis

Da redação TH - Publicada às 8h20

Na manhã desta quinta-feira, 6 de agosto, mais de 25 horas após o acidente envolvendo duas carretas, sendo uma tanque com 30 mil litros de etanol e a outra graneleira carregada de café, além de um Fiat Uno, o Km 825 da BR-101, distante cerca de sete quilômetros de Eunápolis, continuava interditado. A informação é da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que prevê a liberação da pista até o fim da manhã.

O acidente aconteceu na manhã desta quarta-feira, 5 de agosto, por volta das 6h40, próximo à ponte do rio Buranhém, trecho entre Itabela e Eunápolis. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o tanque se desprendeu, atingiu a outra carreta e o Fiat Uno. O motorista da carreta graneleira fraturou a clavícula e foi socorrido ao Hospital Regional de Eunápolis (HRE).

O condutor do veículo de passeio, professor do Instituto Federal da Bahia (IFBA), ficou preso às ferragens e só foi retirado por volta das 9h30 após uma ação conjunta do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e militares do Grupamento do Corpo de Bombeiros (GBM). Ele foi socorrido ao Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro e as últimas informações dão conta que o seu estado de saúde é estável.

O motorista da carreta-tanque, que saiu praticamente ileso, contou que seguia para Eunápolis e ao passar por uma curva o engate que prende o compartimento ao cavalinho se soltou e ficou atravessado na via, interrompendo o tráfego nos dois sentidos na rodovia, uma das mais movimentadas do país.

Por o produto ser inflamável e haver risco de explosão a empresa dona da carreta-tanque precisou mandar ao local técnicos de outro estado. No início da manhã desta quinta-feira (6) foi confirmado que eles já conseguiram fazer o transbordo do combustível para outra carreta e outros profissionais já iniciaram o trabalho para remover o compartimento da pista.

Do lado de Eunápolis o congestionamento é menor, pois muitos motoristas estão parados em postos de combustíveis aguardando a liberação da rodovia. Já no lado de Itabela a fila de veículos já tem cerca de 20 quilômetros e aproxima-se do perímetro urbano da cidade.

Caminhoneiros que transportam cargas perecíveis dizem que se a liberação do tráfego não for realizada até o fim da manhã, os prejuízos devem ser grandes.

© 2019 Teixeira Hoje. Todos os direitos reservados