Mucuri
Preso o homem que matou colega de trabalho a golpes de foice no interior de Itamaraju

A Polícia Civil prendeu em flagrante delito a pessoa de Alzito Francisco de Oliveira, 33 anos, que na manhã desta quinta-feira (09/01) matou a golpes de foice o seu próprio colega com quem bebia junto, de nome Valdemilson de Jesus, o “Nego”, de 52 anos. O crime aconteceu na Fazenda São Domingos, na comunidade Santo Amaro, às margens da BA-284 sentido Itamaraju/Jucuruçu, nas proximidades do entroncamento de Pirajá, no interior de Itamaraju.

Conforme o delegado Gilvan Meireles, titular da Polícia Civil de Itamaraju, o motivo do crime foi tipificado como fútil. Segundo o delegado, autor e vítima após ingerirem bebida alcoólica juntos, o autor pediu um isqueiro emprestado a Valdemilson que negou, momento em que o autor ficou nervoso e se apossou de uma foice, arma de lamina comprida e circulada de cabo longo, geralmente utilizada para se roçar áreas de plantações de cacau e com ela desferiu quatro golpes contra a cabeça da vítima que morreu no local deixando um rastro de sangue.

O corpo da vítima foi encontrado a 15 metros da barraca onde dormem os funcionários temporários da fazenda. A Polícia Civil de Itamaraju iniciou as investigações ainda na manhã de ontem no sentido de localizar e prender o autor do crime. Uma equipe comandada pelo delegado Ruy Pinheiro promoveu diligencias pontuais que após colher informações em campo, lograram êxito em identificar e localizar o autuado em tentativa de fuga em direção ao Prado, no bairro da Liberdade na zona leste de Itamaraju.

Ao receber voz de prisão em flagrante delito Alzito Francisco de Oliveira, 33 anos, confessou o crime relatando a motivação que realmente matou o colega durante discussão banal quando bebiam juntos no barraco da fazenda e disse que jogou o instrumento do crime, ou seja, a foice, numa represa de uma fazenda na comunidade Santo Amaro. Também confessou que furtou da fazenda palco do crime uma lona de caminhão cujo valor aproximado é R$ 900,00 e vendeu para um mototaxista pelo valor de R$ 30,00.

O homicida Alzito Francisco de Oliveira foi autuado em flagrante delito por crimes de homicídio, motivo fútil como qualificadora e furto simples. Mas ao checar a vida pregressa do homicida, a Polícia Civil de Itamaraju constatou que Alzito também possuía em seu desfavor, um mandado de prisão preventiva pelo crime de estupro praticado no município de Jacinto, no Vale do Jequitinhonha, no nordeste de Minas Gerais. (Por Athylla Borborema)

Log in or Sign up