“Chilavert” confessa ter assassinado a ex-esposa por asfixia em Teixeira de Freitas

Da redação TH

Como havia informado a reportagem do Teixeira Hoje, após o achado do corpo de Márcia Souza Andrade, parcialmente enterrado numa cova rasa, em um areal localizado no bairro João Mendonça, em Teixeira de Freitas, a Polícia Civil realizou nova oitiva com Renaldo Gonçalves da Costa, o “Chilavert”, de 39 anos, que diante das evidências, confessou ter assassinado a ex-esposa por asfixia. Até então ele vinha negando o crime.

A mulher estava trabalhando na colheita da pimenta-do-reino no Espírito Santo e veio a Teixeira de Freitas para visitar os dois filhos menores de idade que moravam com Renaldo. Na quarta-feira (14), Márcia participou no aniversário de uma das crianças e a pedido delas resolveu dormir na casa do ex-companheiro.

Entre o fim da noite e a madrugada de quinta-feira (15), segundo o novo depoimento de “Chilavert” ele foi ao quarto onde dormia Márcia e apertou o seu pescoço até que ele parasse de respirar. Ele nega ter havido agressão anterior ao assassinato, apesar da polícia ter encontrado uma mancha de sangue em um colchão no interior da residência.

Segundo o delegado Bruno Ferrari, responsável pela pasta de homicídio da 8ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Teixeira de Freitas) e que trabalhou inicialmente no caso, o novo depoimento de Renaldo Gonçalves da Costa, o “Chilavert”, de 39 anos, aconteceu nesta quinta-feira (22). Ferrari fez questão de ressaltar o trabalho realizado pela equipe da delegada Kátia Guimarães, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), para quem o caso foi repassado.

O caso

Segundo relatos da família, Márcia, que estava no Espírito Santo trabalhando na colheita da pimenta-do-reino, veio para Teixeira de Freitas visitar os dois filhos, que moravam com Renaldo. Na quarta-feira (14) ela participou do aniversário de uma das crianças, que juntas pediram à mãe que dormisse com eles na casa do pai, o que acabou acontecendo.

A partir deste dia os parentes não conseguiram mais nenhum contato telefônico com a mulher e procuraram a Delegacia Territorial de Teixeira de Freitas (DT), onde formalizaram a ocorrência do desaparecimento. Nesta quarta-feira (21), sete dias após o desaparecimento, populares desconfiaram do acúmulo de abutres em um areal e solicitaram a presença da Polícia Militar, que encontrou o corpo da vítima parcialmente enterrado.

Agora com o novo depoimento e confissão do assassino, ele vai responder por feminicídio e ocultação de cadáver. Renaldo permanece preso na carceragem da 8º Coorpin.

Log in or Sign up