Passagem de 2 PMs para a reserva remunerada marca uma cerimônia de devolução simbólica à família em Itamaraju

Por Athylla Borborema

Dois policiais militares que terminaram de ter as suas respectivas aposentadorias ou reservas remuneradas publicadas no Diário Oficial do Estado da Bahia após completarem 30 anos de serviços prestados à corporação, passaram por uma cerimônia de despedida na sede da 43ª Companhia Independente da Polícia Militar de Itamaraju, quando vestiram suas fardas pela última vez.

A cerimônia contou com dois momentos, que foram marcados por muita emoção. Um momento no quartel onde a comandante, major Sheyla Kelly Ravani Rodrigues promoveu o discurso de despedida dos militares e promoveu a entrega de uma placa de “honra ao mérito” em homenagem aos PMs aposentados e o outro foi quando a comandante conduziu cada policial até a casa da sua família para devolvê-lo aos familiares.

Os policiais militares que passaram da ativa para a reserva remunerada com os proventos de tenente, foram: o Subtenente Evanildo Felipe do Nascimento, o “Sub Felipe” e o 1º Sargento Dalvino Silva dos Santos, o “Sargento Dalvino” que contavam com mais de 30 anos de serviços prestados aos quadros da Polícia Militar da Bahia. Os dois militares colocaram a farda pela última vez e se apresentaram no quartel da 43ª CIPM para se despedirem dos colegas e foram homenageados.

O subtenente Felipe é natural de Itamaraju, militar de grande prestígio social e teve uma carreira marcada pela honradez, ocupou várias funções importantes na Polícia Militar, inclusive tendo comandado inúmeras operações importantes com êxito absoluto para a corporação e com excelentes resultados para a sociedade. Foi também por muitos anos integrante da Polícia Rodoviária Estadual Militar e prestes à sua aposentadoria, havia retornado para o combate ostensivo da Polícia Militar. Em casa ele foi recebido pelos filhos e pela esposa, sendo que a sua filha menor se vestiu a caráter em tributo à PM e em homenagem ao pai que se despediu-se da farda da Polícia Militar da Bahia.

O sargento Dalvino é filho do distrito de Guarany no município de Prado e sempre atuou na Polícia Militar de Itamaraju, policial muito disciplinado, prestigiado por todos os comandos que trabalhou, respeitado pela sociedade em torno da sua postura de retidão. Dentre as marcas da sua carreira que vai ficar para sempre na memória do povo do extremo sul, fora quando se tornou refém e ferido a tiros durante o famoso assalto do Baneb, ocorrido em 5 de novembro de 1997, na Praça da Independência, perpetrado por 8 bandidos fortemente armados oriundos do sudeste do país que roubaram na época R$ 8 milhões em espécie, executando a tiros o seu colega, o soldado Nilton Carlos Passos Souza e ainda fizeram de refém o professor Nilson Correia Amorim – o episódio ficou conhecido como o maior assalto a banco da história da Bahia, tanto pelo valor roubado para aquela época, quanto pelo resultado morte, que além de um PM ferido e um morto, os 8 bandidos também foram mortos em confronto. Em casa o sargento Dalvino foi recebido pelos pais.

A comandante da 43ª Companhia Independente da Polícia Militar de Itamaraju, a major Kelly Ravani, fez um agradecimento especial aos militares perante à tropa. Em seguida, os dois militares despediram-se dos colegas, passando por um corredor humano, em meio aos aplausos e embarcaram numa viatura e foram conduzidos até suas residências. “Essa é uma forma que temos para agradecer os serviços prestados por estes dois briosos policiais militares que foram para reserva remunerada ainda muito jovens e, portanto, terão uma nova etapa da vida para construírem. Trata-se de uma devolução simbólica, mas que marca para sempre o encerramento deste círculo profissional da vida do subtenente Felipe e do sargento Dalvino. Agradecemos aos militares pela dedicação ao trabalho por eles realizado ao longo da carreira e, portanto, fizemos a entrega de uma placa celebrando a tão sonhada e merecida aposentadoria destes dois homens de grande valor”, enfatizou a major Kelly Ravani.

Log in or Sign up