Com a vitória de apenas três aliados, Belitardo terá que ter habilidade para negociar com os 16 vereadores eleitos/reeleitos na oposição

Por Ronildo Brito

Apesar de ter vencido a eleição em Teixeira de Freitas com uma votação histórica (45.433 indicações ou 60,91%¨dos votos válidos), uma diferença superior a 30 mil votos para o segundo colocado Temóteo Brito (12.163 votos ou 16,31%) e ainda emplacado à reeleição do irmão Marcos Belitardo, com 2.426 votos, reeleito o mais votado para a Câmara Municipal, o prefeito eleito Marcelo Belitardo (DEM), terá que ter muita habilidade política para negociar com o Legislativo.

Além do irmão Marcos, Marcelo Belitardo conseguiu eleger apenas outros dois vereadores em seu partido (Democratas), sendo Clemeson do Postinho, que obteve 1.112 votos e Luizinho, que alcançou 758 indicações. Os demais 16 vereadores foram eleitos em outras coligações.

O AVANTE, sigla comandada por Agnaldo da Saúde, vereador licenciado e atual chefe de gabinete do prefeito Temóteo Brito (PP), elegeu três vereadores (Juscélio, Bruno Barbosa e Tequinha). PSC ficou com duas cadeiras na Câmara (Ronaldo Cordeiro e Ailton Lacerda), mesmo número do PDT (Marquinhos Gomes e Carmino) e Solidariedade (Mateus Guerra e Ailton Cruz).

O PCdoB elegeu um vereador (Toinzinho), mesmo número do PP (Jóris de Gel), PSDB (Marcelo Teixeira), PP (Bernardo Cabral), PSB (Luciano de Santo Antônio), PT (Coutinho) e PSL (Lucas Boção).

O primeiro teste de habilidade do prefeito Marcelo Belitardo (DEM), será conhecido logo no dia 1º de janeiro de 2021, quando por lógica, deverá tentar emplacar o irmão Marcos Belitardo na presidência da Câmara de Vereadores de Teixeira de Freitas. Advogados especializados na área pública ouvidos pela reportagem, asseguram que sem uma base segura no Legislativo, dificilmente um prefeito consegue governar bem.

Log in or Sign up