Após criação, Senado oficializa nomes da CPI da Covid

Informações: Poder 360

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco DEM-MG), leu nesta 5ª feira (15.abr.2021) os nomes dos membros titulares e dos suplentes da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da covid-19. Isso oficializa os participantes e permite que o colegiado seja instalado.

A 1ª reunião da CPI precisará ser presencial para a eleição do presidente do grupo. Esse encontro deve ser acordado entre os membros e pode ser já na próxima 5ª feira (22.abr).

Quem tem a obrigação de convocar essa reunião é o membro mais velho do colegiado, Otto Alencar (PSD-BA). O presidente eleito deve escolher o relator da CPI, que produzirá o relatório final a ser entregue ao ministério público para que as medidas legais cabíveis sejam tomadas.

Entre os que apoiam o governo estão os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), presidente nacional do PP; o líder do DEM no Senado, Marcos Rogério (RO); o senador Jorginho Mello (PL-SC) e o senador Marcos do Val (Podemos-ES).

Já na oposição estão Humberto Costa (PT-PE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP). O grupo dos independentes pode dar trabalho a Bolsonaro, já que seus integrantes votam junto com o governo em diversas matérias, mas são críticos à administração e ao combate à pandemia em diversos pontos.

A divisão de cadeiras dos 11 titulares e 7 suplentes de comissões é feita, tradicionalmente, baseada no tamanho dos blocos partidários que existem na Casa. Para que isso seja alterado dessa vez e outro método de distribuição seja usado, seria preciso um amplo acordo entre os senadores.

Eis quantas vagas de titulares da CPI cada bloco tem direito por essa regra:

Bloco MDB, PP e Republicanos – 3 vagas de titulares e duas de suplente;

Bloco PSDB, Podemos e PSL – duas vagas de titulares e uma de suplente;

PSD – duas vagas de titulares e uma de suplente;

Bloco DEM, PL e PSC – duas vagas de titular e uma de suplente;

Bloco Rede, Cidadania, PDT e PSB – uma vaga de titular e uma de suplente;

Bloco PT e Pros – uma vaga de titular e uma de suplente.

O PSD é o único partido com representação no Senado que não constitui nenhum bloco, por isso também é contado para a distribuição de cadeiras. Ainda assim, mesmo se comparado aos grupos, a sigla é a 3ª maior em tamanho.

Log in or Sign up