eunapolis970
Mucuri: Prefeito Robertinho liga sinal de alerta após transferir três pacientes da Covid-19 via UTIs Aéreas

Da redação TH

Para garantir a transferência segura e eficiente de pacientes no município de Mucuri, a Prefeitura Municipal tem se utilizado de UTIs aéreas para transferir seus pacientes acometidos pela Covid-19 para hospitais de campanhas em Salvador e Ilhéus, graças à parceria que tem mantido com a SESAB - Secretaria de Estado da Saúde da Bahia e também se utilizado de UTIs móveis para transportar pacientes para hospitais de campanha em Eunápolis e Porto Seguro.

Somente nesta sexta-feira  (07/05), a Prefeitura de Mucuri através da Secretaria Municipal de Saúde transferiu três pacientes, dois por meio de UTIs aéreas para Salvador e um outro paciente por meio de UTI móvel para Eunápolis. A oferta desses serviços de logística visa garantir cobertura de saúde para casos graves da doença. As unidades móveis devidamente equipadas em Mucuri são utilizadas no atendimento emergencial de casos mais graves de Covid-19 e contam com uma equipe composta por médico, enfermeiro e técnico de enfermagem. 

UTI Móvel

O secretário Municipal de Saúde de Mucuri, o farmacêutico bioquímico Fernando Jardim, explica que os veículos do município para esse tipo de transporte são equipados com monitor de frequência cardíaca, desfibrilador, bomba de infusão, respirador com suporte adulto e infantil. Dentro das ambulâncias, também há um Manual de Procedimento Operacional Padrão em casos de Covid-19, conhecidos como POP. No documento, constam orientações de como proceder durante os atendimentos emergenciais aos pacientes que contraíram o novo coronavírus.

UTI Aérea

Já o transporte aeromédico é feito por um avião aparelhado com estrutura de UTI, incluindo respiradores e equipe médica que garante o monitoramento do paciente em tempo real. “Neste sábado, chegamos a ter dois aviões transportando pacientes do município de Mucuri para o Hospital Couto Maia em Salvador, garantindo a interligação de Mucuri com as redes do Governo do Estado. Já transportamos de Mucuri por meio do transporte aeromédico pacientes diagnosticados com quadro grave da Covid-19. Toda esta operação que temos feito para salvar vidas em Mucuri diante desta pandemia, só tem sido possível, graças ao esforço permanente e da influência do nosso prefeito Robertinho e, por isso, podemos utilizar de um planejamento eficiente”, destacou o secretário Fernando Jardim.





O primeiro transporte aéreo aconteceu no final da tarde deste sábado (07). O avião pousou no Aeroporto da Suzano em Itabatã, para transportar a paciente Delminda Rosa Ferreira, 65 anos, que estava internada no HSJ – Hospital São José de Itabatã desde o último dia 3 de maio, paciente sem comorbidades prévias apresentava quadro de tosse seca, febre persistente, diarreia, vômito, cansaço, dispnéia e desconforto respiratório. A paciente foi transferida pela UTI Aérea para o Hospital Couto Maia, em Salvador.



O segundo paciente foi transferido de UTI móvel do HSJ - Hospital São José de Itabatã até o Aeroporto 9 de Maio em Teixeira de Freitas, onde uma UTI aérea oriunda de Salvador pousou no início da noite deste sábado para transferir o paciente Cirilo Rocha Lima, 64 anos. O paciente de Mucuri também acometido pela Covid-19, que estava internado no Hospital São José de Itabatã desde o último dia 4 de maio, com histórico de hipertensão, anemia crônica sem diagnóstico prévio e relato de AVC Isquêmico há 5 anos, apresentava quadro de tosse seca, dispneia, cansaço, dessaturação e com relato de ter recebido a primeira dose da vacina no &uacute ;ltimo dia 20 de abril. O transporte aeromédico do paciente foi também para o Hospital Couto Maia, em Salvador.



A terceira paciente transferida neste sábado (07) ocorreu por meio de uma UTI móvel, do Hospital São José de Itabatã para o Hospital de Campanha de Eunápolis. A paciente Rosa Gonçalves Fontoura, 71 anos, deu entrada no HSJ – Hospital São José de Itabatã no último dia 2 de maio. Segundo a família, a aposentada não possui histórico de comorbidades e o seu quadro em virtude do acometimento da Covid-19 é de tosse seca, desconforto abdominal, diarreia e evoluiu com dispnéia e desconforto respiratório.

Prefeito liga sinal de ALERTA

O aumento de casos no município de Mucuri faz o governo municipal ligar o sinal de alerta para esta segunda onda da pandemia. A Secretaria Municipal de Saúde reforça a necessidade de as pessoas saírem de casa somente em caso de extrema necessidade, além de adotarem todas as medidas de prevenção, tais como a utilização de máscaras e higienização constante das mãos.

“A avaliação é que a alta de pessoas contaminadas pelo coronavírus e da taxa de internações em vários Estados é preocupante e deveria servir de alerta para a população. Esta doença não é gripe. Pessoas jovens e saudáveis morreram e ainda não entendemos totalmente as consequências de longo prazo da infecção para aqueles que sobrevivem”, reflete o prefeito Roberto Carlos Figueiredo Costa, o “Robertinho” (DEM).

O prefeito Robertinho alerta à população que a pandemia está em um “ponto crítico” e mesmo com o início da vacinação, ela não será eficiente se medidas como o uso de máscara e distanciamento social não forem seguidas. “Não se engane, vacina não é única ferramenta. Apenas a vacinação não será capaz de conter o coronavírus e, por isso, manter as medidas sanitárias individuais e coletivas é essencial. Não se engane, a vacina é uma ferramenta vital e poderosa, mas não será o nosso único instrumento”, alertou.

E acrescentou: “Vamos continuar dizendo isso. O distanciamento físico funciona. Máscaras funcionam. A higiene das mãos funciona. Ventilação funciona. Vigilância, teste, rastreamento de contato, isolamento, quarentena de apoio e cuidado compassivo. Não tem sido fácil para nós nesse início de mandato ter que lidar com esta situação, mas, estamos trabalhando com todas as nossas forças para impedir novas infecções e salvar vidas”, alertou o prefeito Robertinho.

Log in or Sign up